Rose Satiko Gitirana Hikiji

Sala: 16 (Ala nova)

Linhas de pesquisa:
Antropologia das formas expressivas


Blog Antropologia Compartilhada

Histórico acadêmico

  • 1992. Graduação em Comunicação Social pelo Instituto Metodista de Ensino Superior
  • 1995. Graduação em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP
  • 1999. Mestrado em Antropologia Social pela Universidade  de São Paulo. Orientação: Profa. Dra. Sylvia Caiuby Novaes. Título do trabalho: “Imagem-Violência. Mimesis e reflexividade em alguns filmes recentes”
  • 2004. Doutorado em Antropologia Social pela Universidade  de São Paulo. Orientação: Profa. Dra. Sylvia Caiuby Novaes. Título do trabalho: “A música e o risco - uma etnografia da performance musical entre crianças e jovens de baixa renda em São Paulo
  • 2005. Pós-doutorado em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo. Supervisão: Profa. Dra. Sylvia Caiuby Novaes. Projeto: “Olhar, escutar, criar - Uma análise da criação de sensibilidades e identidades a partir da performance artística entre jovens das periferias metropolitanas”.

Áreas de atuação

  • Antropologia Visual
  • Antropologia da Performance
  • Antropologia da Música

Pesquisas em desenvolvimento

  • “Bixiga em Artes e Ofícios: percursos audiovisuais”. Coordenação da pesquisa, desenvolvida no Centro de Preservação Cultural (CPC-USP).
  • “Antropologia compartilhada, desafios contemporâneos”. Pesquisa desenvolvida junto ao Projeto Temático FAPESP “A Experiência do Filme na Antropologia”.
  • “O fazer audiovisual como performance: a produção de imagens e sons no contexto etnográfico”. Pesquisa desenvolvida junto ao Projeto Temático FAPESP “Antropologia da Performance: Drama, Estética e Ritual”.

Orientações em andamento

Doutorado (co-orientação)

  • Ewelter de Siqueira e Rocha. Antropologia Fílmica e Estudos de Performance em Etnomusicologia: Imagens e Contextos da Música Religiosa. Início: 2008.
  • Magda dos Santos Ribeiro. Natureza e mercado: um estudo antropológico das relações entre empresas e populações tradicionais. Início: 2011.

Mestrado

  • Fábio Mallart Moreira. "Unidades dominadas" - a disputa simbólica pela imposição de uma definição do mundo social. Início: 2009.
  • Diana Paola Gómez Mateus. “Imagem em construção. A violência no cinema colombiano contemporâneo”. Início: 2010. 
  • Bruna Nunes da Costa Triana. As cores da alteridade: um olhar sobre o outro no cinema de Krzysztof Kkieslowski. Início: 2011.
  • Paulo Menotti Del Picchia. Por que eles ainda gravam discos? Novos compositores e a digitalização da música. Início: 2011.

Iniciação Científica

  • Nathalie Maykot Ferreira. Cinema na periferia: um canal para o debate? Início: 2008. Bolsista PIBIC/Santander
  • Isadora Biella Moreira Martins de Souza. A construção da Performance
    no movimento “Mangue”. Bolsista PIBIC, início 2011.
  • Jorge Gonçalves de Oliveira Júnior. Projeto: "Estratégias Dramáticas e
    Narrativas nas Palestras e Dinâmicas Motivacionais". Início em 2011 

Principais publicações

  • Imagem-Conhecimento. Antropologia, cinema e outros diálogos.  (co-organizadora). Campinas, Papirus, 2009, 320 pp.
  • “Imagens que afetam: filmes da quebrada e o filme da antropóloga” In: GONÇALVES & HEAD (orgs.). Devires Imagéticos: a etnografia, o outro e suas imagens. Rio de Janeiro, 7LETRAS, 2009, v.1, p. 115-135.
  • A música e o risco. São Paulo, Edusp/Fapesp, 2006.
  • Escrituras da Imagem (co-organizadora). São Paulo, Edusp/Fapesp, 2004, 224 p.

Artigos em livros e periódicos

  • Video, Music and Shared Anthropology. Visual Anthropology. , v.23, p.330 - 343, 2010.
    Sentidos da imagem na quebrada. In: Leonel & Mendonça (orgs.). Audiovisual comunitário e educação: Histórias, processos e produtos.1 ed.Belo Horizonte : Autentica Editora, 2010, v.1, p. 109-127.
  • “Imagens que afetam: filmes da quebrada e o filme da antropóloga” In: GONÇALVES & HEAD (orgs.). Devires Imagéticos: a etnografia, o outro e suas imagens. Rio de Janeiro, 7LETRAS, 2009, v.1, p. 115-135.
  • Vídeo, música e antropologia compartilhada: uma experiência intersubjetiva In: Imagem-Conhecimento. Papirus, 2009, v.1, p. 143-158.
  • Nikkeis no Brasil, dekasseguis no Japão - identidade e memória em filmes sobre migrações. Revista USP. , v.79, p.144 - 164, 2008. Em co-autoria com Alexandre Kishimoto.
  • "O vídeo e o encontro etnográfico". In Cadernos de Campo. USP, v. 14-15, p. 287-298, 2007. Em co-autoria com Edgar Teodoro da Cunha e Ana Lúcia M. C. Ferraz.
  • "Vídeo e visibilidade: quando jovens internos me pediram o microfone". In: RIBEIRO, José da Silva; BAIRON, Sérgio. (Org.). Antropologia Visual e Hipermedia. 1 ed. Lisboa: Afrontamento, 2007, v. 1, p. 61-70.
  • "O cinema à luz da antropologia e vice-versa". In: Maria Catarina Chitolina Zanini. (Org.). Por que "raça"? Reflexões sobre "questão racial" no cinema e na antropologia. Santa Maria: UFSM, 2007.
  • “De dentro do bagulho: o vídeo a partir da periferia” (co-autoria com Clarisse Alvarenga). In: Ferrari, Hikiji et alli (orgs.). Sexta-Feira - Antropologias, Artes e Humanidades, n. 8 - Periferia. São Paulo: Editora 34, 2006, v. 1, p. 183-204.
  • “Possibilidades de uma audição da vida social”. In Caiuby Novaes, Sylvia, Eckert, Cornelia & Martins, José de Souza (orgs.). O imaginário e o poético nas Ciências Sociais. Bauru, Edusc – Editora da Universidade do Sagrado Coração, 2005, p. 271-294.
  • “O mal-estar do cinema. A violência como linguagem no cinema de Michael Haneke”. In Caiuby Novaes, Hikiji et alli (orgs.). Escrituras da Imagem. São Paulo, Edusp/Fapesp, 2004, p. 83-92.
  • “Música para matar o tempo – intervalo, suspensão e imersão”. In  Revista Mana. Estudos de Antropologia Social. PPGAS, Museu Nacional, UFRJ, abril de 2006, pp. 151-178. ISSN 0104-9313.
  • “Etnografia da performance musical – identidade, alteridade e transformação”. In Horizontes Antropológicos. Porto Alegre, UFRGS, 2005, 155-184.
  • “Imagens em construção: o uso do vídeo como forma de comunicação com o interno da Febem” (co-autoria com Paula Miraglia). In Cadernos de antropologia e imagem, v. 16. Rio de Janeiro, UERJ, 2003, p.47-58.
  • “Espetáculo ou reflexividade? Sobre uma narrativa da violência no cinema norte-americano dos anos 90”. In Cadernos de antropologia e imagem, v. 13. RJ, UERJ, 2001, p.45-56.
  • “’Peguei tempo indeterminado’ – vigilância, violência e revolta entre os muros da Febem” (co-autoria com Paula Miraglia). In Sexta-Feira – Antropologia, Artes e Humanidades, v.5. São Paulo, Hedra, 2000, p.50-59.
  • “Antropólogos vão ao cinema - observações sobre a constituição do filme como campo”. In Cadernos de Campo v.7. São Paulo, USP, 1998, p.91-113.
  • “Estrada para o impenetrável”. In Sexta-Feira – Antropologia, Artes e Humanidades v.3. São Paulo, Pletora, 1998, p.192-197.


Vídeos etnográficos (disponíveis no LISA)

  • Lá do Leste. NTSC, cor, 28 min, LISA/Movie&art, 2010. Direção e pesquisa: Carolina Caffé e Rose Satiko Hikiji. Sinopse: Lá do Leste, do lugar onde a cidade termina (ou começa), chegam rimas, gestos e cores que marcam o espaço. A experiência periférica urbana é a base e o motivo da produção dos artistas de Cidade Tiradentes, que cresceram junto com o distrito paulista e em suas obras dialogam com seus desafios e sonhos. O filme segue a vida e as transformações do street dance, grafite e rap neste lugar considerado o maior complexo de conjuntos habitacionais populares da América Latina, marcado pela exclusão, no qual a população orquestra suas dificuldades com dinâmicas próprias de sociabilidade, moradia, e apropriação do território.
  • Cinema de quebrada NTSC, cor, 45 min, LISA/FAPESP, 2008.
    Direção e pesquisa: Rose Satiko Gitirana Hikiji
    Sinopse: Jovens moradores da periferia de São Paulo apresentam o cinema como meio de expressão e de reflexão. Nas quebradas, fazem e exibem videos, questionando as representações midiáticas da periferia e construindo novas imagens a partir de suas experiências.
  • Catarina Alves Costa - Série Trajetórias NTSC, cor, 25 min, LISA/FAPESP, 2007.
    Direção, Roteiro, Pesquisa e Edição: Nadja Marin e Rose Satiko Hikiji
    Sinopse: A antropóloga e cineasta portuguesa Catarina Alves Costa fala de seus filmes e das possibilidades e tensões da relação entre a prática antropológica e o fazer cinematográfico. O cinema de observação, a pesquisa e a construção do filme etnográfico são alguns dos temas que Catarina discute em entrevista permeada pelas imagens e sons de seus filmes. Este vídeo integra a Série Trajetórias, uma proposta do GRAVI - Grupo de Antropologia Visual da USP de construir por meio do audiovisual um diálogo com cientistas sociais e documentaristas.
  • Pulso, um vídeo com Alessandra, NTSC, cor, 32 min, LISA/FAPESP, 2006.
    Direção: Rose Satiko Gitirana Hikiji. Edição: Fernanda Frasca, Giuliano Ronco e Rose Satiko Hikiji. Resultado do projeto de pós-doutorado financiado pela FAPESP.
    Sinopse: Experiência de antropologia compartilhada, este vídeo resulta do encontro da antropóloga Rose Satiko Hikiji com Alessandra Cristina Raimundo, jovem violinista que foi por cinco anos a spalla da orquestra do pólo Mazzaropi do Projeto Guri. O vídeo apresenta a relação de Alessandra com a música e sua reflexão sobre esta relação, tecida no processo de discussão e realização audiovisual que resultou no curta-metragem Vírus da Música, dirigido por Alessandra.
  • Vírus da música. NTSC, cor, 20 min, LISA/FAPESP, 2004.
    Direção: Alessandra Cristina Raimundo. Coordenação: Rose Satiko Hikiji.
    Sinopse: vídeo é parte da pesquisa de pós-doutorado que teve início em 2004. Dirigido por Alessandra Cristina Raimundo, interlocutora da pesquisa no doutorado, a partir de oficina de vídeo coordenada pela antropóloga Rose Satiko Hikiji. Mostra um maestro, uma clarinetista, uma violoncelista e três irmãos estudantes de canto e violino falando da presença da música em suas vidas.
  • Microfone, senhora. NTSC, cor, 16 minutos, LISA/FAPESP, 2003. 
    Direção: Rose Satiko G. Hikiji. Edição: Gianni Puzzo e Rose Satiko Hikiji.
    Sinopse: Documentário etnográfico sobre a participação de internos da Febem Tatuapé em uma gravação de CD do grupo de rap Jigaboo. Integra a tese de doutorado da autora.
  • Prelúdio. NTSC, cor, 13 minutos, LISA/FAPESP, 2003. 
    Direção: Rose Satiko G. Hikiji. Edição: Gianni Puzzo e Rose Satiko Hikiji.
    Sinopse: Jovens estudantes de música falam do sentido do aprendizado em suas vidas. Integra a tese de doutorado da autora.
  • Imagem-violência. Cinco montagens. NTSC, cor, 21 minutos, 1998.
    Direção: Rose Satiko Hikiji.
    Sinopse: Vídeo integrante da dissertação de mestrado da autora: “Imagem-violência. Mímesis e reflexividade em alguns filmes recentes”.

Grupos de pesquisa


Laboratório

Blog