Edital de Seleção para Ingresso em 2012

Estarão abertas no período de 8 a 12 de agosto de 2011 as inscrições para o preenchimento de vagas de Mestrado e Doutorado junto ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social para ingresso no 1º semestre de 2012.

Da Inscrição:

Documentos necessários para a Inscrição:

1.Formulário de Inscrição devidamente preenchido
2.cópia xerox do diploma ou, na falta deste, certificado de conclusão de Curso Superior onde conste a data da colação de grau;
3.cópia xerox do Histórico Escolar de Graduação;
4.currículo (sem comprovantes), preferencialmente no formato Lattes (CNPq)
5.cópia de Carteira de Identidade e do CPF
6.cópia do RNE ou Passaporte (para estrangeiros)
7.comprovante do pagamento da taxa de inscrição de R$ 50,00. Clique aqui para gerar o boleto
8.Diploma de Mestre  (só para as inscrições em Doutorado dos candidatos que obtiveram seus títulos fora da USP)
9.Termo de Compromisso Graduação – para preenchimento dos interessados em inscrever-se no mestrado que ainda não colaram grau.
10.Termo de Compromisso Mestrado – para preenchimento dos interessados em inscrever-se no doutorado que ainda não defenderam o mestrado.

Documentos necessários para a Seleção:

Os projetos de pesquisa deverão ser encaminhados no período de 5 a 9 de setembro de 2011, somente pelos candidatos aprovados na etapa das provas eliminatórias de Mestrado e de Doutorado, conforme as especificações abaixo:

Mestrado:

04 (quatro) vias do Projeto de Pesquisa (modelo)
04 (quatro) vias do Currículo (modelo)
04 (quatro) vias do Histórico Escolar da graduação
Doutorado:
04 (quatro) vias do Projeto de Pesquisa (modelo).
04 (quatro) vias do Currículo Lattes
01 (uma) cópia da Dissertação de Mestrado se houver

Os projetos devem ser apresentados em Times New Roman, corpo 12, espaço 1,5, páginas numeradas e não devem ultrapassar o limite de 35.000 caracteres com espaços (excluídos bibliografia e cronograma).


Local de entrega dos documentos:

Secretaria de Pós-Graduação em Antropologia Social
Prédio de Filosofia e Ciências Sociais, sala 1067
Av. Prof. Luciano Gualberto, 315 – Cidade Universitária - São Paulo – SP, CEP 05508-900. e-mail: ppgas@usp.br Telefone: (11) 3091-3779 – fax: (11) 3091-3163.
Horário de atendimento: das 09h00 às 18h00 -

Da Seleção

O ingresso no Programa de Pós-graduação em Antropologia Social rege-se pelo Regimento da Pós-Graduação USP e pelas Normas e Procedimentos da Pós-Graduação na FFLCH/USP (pos.fflch.usp.br). Anualmente, o Programa seleciona candidatos para o Mestrado, Doutorado e Doutorado Direto. Ao inscrever-se, o candidato indica o docente por quem pretende ser orientado, dentre os constantes de uma lista de orientadores credenciados para orientar em nível de mestrado, ou de mestrado e doutorado, e que abrem vaga naquele ano. Ao indicar o orientador, o candidato deve levar em conta a adequação do seu projeto à linha de pesquisa desenvolvida pelo docente escolhido.

A Comissão Coordenadora do Programa indicará duas Bancas Examinadoras (uma para a seleção Mestrado e outra para o Doutorado), compostas de três membros. As Bancas serão responsáveis:

-pela preparação e correção da prova escrita e das provas de língua estrangeira;
-pela leitura dos projetos e outros documentos pertinentes;
-pela entrevista dos candidatos;
-pela classificação dos candidatos mediante a média das notas obtidas na prova escrita e na etapa da entrevista.

Seleção de candidatos para o Mestrado

O processo seletivo dos candidatos a Mestrado será realizado mediante duas etapas: provas eliminatórias e entrevista

I. Etapa das provas

As provas eliminatórias compreendem duas fases:
I. (a) Prova escrita . Com base na bibliografia divulgada nesta página, a Banca Examinadora de Mestrado elaborará três questões, das quais duas deverão ser desenvolvidas por escrito pelo candidato. A prova terá a duração de quatro horas. Não será permitida a consulta a nenhum material e nem o uso de computador. Qualquer consulta implicará a reprovação do candidato. Para efeito da prova teórica, os candidatos serão identificados apenas por um número, gerado pela coordenação do Programa com esse único propósito.
Os candidatos receberão nesta prova uma nota de 0 (zero) a 10,0 (dez), sendo aprovados aqueles com média igual ou superior a 7,0 (sete). Para efeito de divulgação, nesta etapa, serão dados a conhecer apenas dois conceitos: “aprovados” e “reprovados”.

I. (b) Proficiência em uma língua estrangeira. Os candidatos aprovados na fase anterior realizarão a prova de proficiência em língua estrangeira. Poderão escolher inglês ou francês para a prova, que será baseada na leitura de um texto. O candidato deverá responder, em português, a uma série de questões. Será permitido o uso de dicionário.
Não terão validade, para efeito desta seleção, os exames de proficiência em língua estrangeira realizados no âmbito da FFLCH ou fora dele, por candidatos aprovados ou não em outros processos seletivos,
Os candidatos receberão nesta prova uma nota de 0 (zero) a 10,0 (dez), sendo aprovados aqueles com média igual ou superior a 5,0 (cinco). Para efeito de divulgação, nesta etapa, serão dados a conhecer apenas dois conceitos: “aprovados” e “reprovados”.

II. Etapa da entrevista
Nesta etapa, o candidato será avaliado pela Banca Examinadora de Mestrado em relação a três itens: a) a qualidade do projeto de pesquisa, em sua consistência e viabilidade; b) a qualidade de seu Currículo e sua experiência em participação em pesquisa (iniciação científica ou atividade equivalente); c) sua desenvoltura na exposição do projeto e na argumentação, durante a entrevista. A banca deverá atribuir uma nota de 0 (zero) a 10,0 (dez) a cada item. O resultado desta etapa será a média destas três notas.
A Banca Examinadora tem por objetivo, nesta etapa, avaliar o potencial do candidato para cumprir, com qualidade e no tempo previsto, as atividades do programa de mestrado em Antropologia Social.
Todo potencial orientador deverá obrigatoriamente encaminhar à Coordenação do Programa um parecer sobre o projeto de cada candidato que o tiver indicado, o qual será disponibilizado à Banca Examinadora. O parecer deverá ser preenchido em formulário apropriado fornecido pela Secretaria.
O candidato que não encaminhar projeto de pesquisa dentro do prazo previsto por este Edital será automaticamente excluído do processo de seleção.

III. Resultados da seleção
A ordem de classificação final será dada pela Banca Examinadora de Mestrado em função das médias finais obtidas pelos candidatos. Serão aprovados os candidatos que obtiverem média igual ou maior que 7,0 (sete), consideradas as notas obtidas na prova escrita e na etapa da entrevista. Para fins de classificação a Banca poderá utilizar a nota da prova de língua estrangeira como critério de desempate.

Seleção de candidatos para o Doutorado

O processo seletivo dos candidatos a Doutorado será realizado mediante duas etapas: provas eliminatórias e entrevista.

I. Etapa das provas
As provas eliminatórias compreendem duas etapas:

I. (a) Prova escrita. Com base na bibliografia divulgada nesta página, a Banca Examinadora de Doutorado elaborará três questões, das quais uma deverá ser desenvolvida por escrito pelo candidato. A prova terá a duração de quatro horas. Será permitida a consulta a livros e material escrito. Não será permitido o uso de computador. Para efeito da prova teórica, os candidatos serão identificados apenas por um número gerado pela coordenação do Programa com esse único propósito.
Os candidatos receberão nesta prova uma nota de 0 (zero) a 10,0 (dez), sendo aprovados aqueles com média igual ou superior a 7,0 (sete). Para efeito de divulgação, nesta etapa, serão dados a conhecer apenas dois conceitos: “aprovados” e “reprovados”.

I. (b) Proficiência em língua estrangeira. Os candidatos aprovados na fase anterior realizarão a prova de proficiência em duas línguas estrangeiras: inglês e francês. A prova será baseada na leitura de um texto em inglês e de outro em francês. O candidato deverá responder, em português, a uma série de questões. Será permitido o uso de dicionário.
Os candidatos ao doutorado portadores de título de Mestre poderão solicitar aproveitamento do exame de proficiência da língua em que foram aprovados no Mestrado (inglês ou francês) apresentando, no ato da inscrição, documento de aprovação em proficiência obtido em seu programa de origem. Nesse caso, o exame de proficiência será feito obrigatoriamente em língua diferente (inglês ou francês) daquela em que já foi aprovado no mestrado.
Não terão validade, para efeito desta seleção, os exames de proficiência em língua estrangeira realizados no âmbito da FFLCH ou fora dele, por candidatos aprovados ou não em outros processos seletivos.
Os candidatos receberão nesta prova uma nota de 0 (zero) a 10,0 (dez), sendo aprovados aqueles com média igual ou superior a 5,0 (cinco). Para efeito de divulgação, nesta etapa, serão dados a conhecer apenas dois conceitos: “aprovados” e “reprovados”.

II. Etapa da entrevista
Nesta etapa, o candidato será avaliado pela Banca Examinadora de Doutorado em relação a três itens: a) a qualidade do projeto de pesquisa, em sua consistência e viabilidade; b) a qualidade de seu Currículo Lattes, levando em conta a dissertação de mestrado, se houver; c) sua desenvoltura na exposição do projeto e na argumentação, durante a entrevista. A banca deverá atribuir uma nota de 0 (zero) a 10,0 (dez) a cada item. O resultado desta etapa será a média destas três notas.
A Banca Examinadora tem por objetivo, nesta etapa, avaliar o potencial do candidato para cumprir, com excelência e no tempo previsto, as atividades do programa de doutorado em Antropologia Social.
Todo potencial orientador deverá obrigatoriamente encaminhar à Coordenação do Programa um parecer sobre o projeto de cada candidato que o tiver indicado, o qual será disponibilizado à Banca Examinadora. O parecer deverá ser preenchido em formulário apropriado fornecido pela Secretaria.
O candidato que não encaminhar projeto de pesquisa dentro do prazo previsto por este Edital será automaticamente excluído do processo de seleção.

III. Resultados da seleção
A ordem de classificação final será dada pela Banca Examinadora de Mestrado em função das médias finais obtidas pelos candidatos. Serão aprovados os candidatos que obtiverem média igual ou maior que 7,0 (sete), consideradas as notas obtidas na prova escrita e na etapa da entrevista. Para fins de classificação a Banca poderá utilizar a nota da prova de língua estrangeira como critério de desempate.

Candidatos estrangeiros

Inscrição
Os candidatos estrangeiros devem apresentar documento comprobatório de proficiência em língua portuguesa no ato da inscrição e ter ciência de que, se selecionados, após o processo seletivo, deverão apresentar cópia do R.N.E. (Registro Nacional de Estrangeiro), obtido junto à Polícia Federal no Brasil, sem o que não poderão efetuar matrícula e dar início a suas atividades no Programa.

Taxa de inscrição
Candidatos que se encontram no exterior estão dispensados de pagar a taxa no ato de inscrição. Se selecionado, porém, o candidato deverá pagar essa taxa ao efetuar a primeira matrícula.
Candidatos que se encontram no Brasil devem pagar a taxa normalmente. Após o pagamento, anexar à documentação da inscrição o comprovante original de depósito ou recibo do pagamento.
Em caso de desistência do processo seletivo ou em qualquer outra situação, não será devolvida a taxa de inscrição.

Exames e entrevistas:
Os candidatos estrangeiros deverão participar do processo seletivo do programa, nos respectivos níveis de Mestrado e Doutorado, conforme especificado no presente Edital.
Candidatos estrangeiros com bolsa PEC/PG
Os candidatos estrangeiros bolsistas do Programa de Estudante-Convênio de Pós-Graduação – PEC-PG são dispensados das provas escritas e entrevistas.
Para maiores informações sobre o convênio PEC-PG, os interessados deverão dirigir-se à Embaixada do Brasil em seu país ou consultar a página da Capes na Internet - www.capes.gov.br

CALENDÁRIO DO PROCESSO SELETIVO – 2011-2012

MESTRADO
08 a 12 de agosto de 2011 – Entrega dos documentos para a Inscrição.
22 de agosto (2ª. Feira) – 9h30 – Prova eliminatória escrita do Mestrado.
29 de agosto (2ª. Feira) – 19h00 – Divulgação da lista de aprovados na prova eliminatória escrita do Mestrado.
01 de setembro (5ª. Feira) – 9h30 – Prova eliminatória de língua estrangeira do Mestrado.
05 de setembro (2ª. Feira) – 12h00 – Divulgação (no site) do resultado da prova de língua estrangeira do Mestrado.
05 a 09 de setembro – Entrega dos projetos de pesquisa (somente dos candidatos aprovados na etapa das provas eliminatórias).
29 de setembro (5ª. Feira) – 15h00 – Divulgação dos horários de entrevistas do Mestrado
03 a 07 de outubro – Entrevistas do Mestrado.
07 de outubro (6ª. Feira) – 19h00 – Divulgação do resultado final dos aprovados na seleção do Mestrado.

DOUTORADO
08 a 12 de agosto de 2011 – Entrega dos documentos para a Inscrição
26 de agosto (6ª. Feira) – 9h30– Prova eliminatória escrita do Doutorado.
30 de agosto (3ª. Feira) – 19h00 –Divulgação da lista de aprovados na prova eliminatória escrita do Doutorado.
01 de setembro (5ª. Feira) – 9h30– Prova eliminatória de língua estrangeira do Doutorado.
05 de setembro (2ª. Feira) – 19h00– Divulgação (no site) do resultado da prova de língua estrangeira do Doutorado.
05 a 09 de setembro– Entrega dos projetos de pesquisa (somente dos candidatos aprovados na etapa das provas eliminatórias).
23 de setembro (6ª. Feira) – 15h00– Divulgação dos horários de entrevistas do Doutorado.26 a 30 de setembro – Entrevistas do Doutorado.
30 de setembro (6ª. Feira) – 19h00– Divulgação do resultado final dos aprovados na seleção do Doutorado.
Os resultados de cada etapa, bem como o resultado final, serão afixados na Secretaria do Programa e poderão ser consultados nesta página do Departamento de Antropologia.

Bibliografia para as provas escritas:

Mestrado:

CLIFFORD, J. A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1998.

CUNHA, M. C. Cultura com aspas. São Paulo: CosacNaify, 2009, caps. 13, 14, 16, 18 e 19.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.

EVANS-PRITCHARD, E.E. Bruxaria, oráculos e magia entre os Azande. Rio e Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

LÉVI-STRAUSS, C. Antropologia estrutural. São Paulo: CosacNaify, 2008.

MAUSS, M. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2003. (Partes: II, V e VI)

SAHLINS, M. O “pessimismo sentimental” e a experiência etnográfica: por que a cultura não é um “objeto” em via de extinção (Partes I e II). Mana. 3 (1): 41-73, 1997; Mana 3 (2): 103-150, 1997.

Doutorado:
GEERTZ, C. A arte como sistema cultural. In: ____. O saber local. Petrópolis, Vozes, 1988

GEERTZ, C. Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

GELL, A. The problem defined: the need for an anthropolgy of art. In: _____. Art and agency: an anthropological theory. Oxford: Clarendon Press, 1998.

LÉVI-STRAUSS, C. O pensamento selvagem. Campinas: Papirus, 2005.

MAUSS, M. Ensaio sobre a dádiva. Forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. In:____. Sociologia e antropologia. São Paulo, Cosac & Naify, 2005.


Modelo de Projeto de Pesquisa

1.Título:
2.Tema:
3.Problemática:
4.Hipótese e Objetivos:
5.Metodologia:
6.Bibliografia:
7.Cronograma:
Observar o limite de 35.000 caracteres com espaços

Modelo de currículo (para o Mestrado)

1. Dados Pessoais;
Nome:
Data e local de Nascimento:
Nacionalidade:
Filiação:
Estado Civil:
Endereço:
Telefone:
E-mail:
Documentos: (Cédula de Identidade; CPF)

2. Formação Científica:
2.1. Diplomas e títulos acadêmicos:

3. Atividades Profissionais:
4. Atividades Pesquisa:
5. Bolsas de estudo obtidas
(Instituições outorgantes e período)
6. Participação em Congressos, Seminários, Conferências e Debates.
(Com apresentação de trabalho)
7. Produção: (em Revista Científica)
7.1. Livros/capítulos e coletâneas
7.2. Artigos em revistas
7.3. Editoriais prefácios apresentações resenhas, catálogos
7.4. Vídeos, filmes, exposições.
8. Outras Experiências consideradas relevantes para a sua formação.

Número global de vagas (Mestrado e Doutorado): 50

Corpo Docente e Linhas de Pesquisa

Ana Claudia Duarte Rocha Marques (M/D)
Antropologia da Política e do Direito/ Antropologia Rural

Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer (M/D)
Antropologia da Política e do direito

Beatriz Perrone-Moisés (M/D)
Etnologia Indígena

Carlos Moreira Serrano (M/D)
Antropologia das populações afro-brasileiras e africanas

Dominique Tilkin Gallois (M/D)
Etnologia Indígena

Fernanda Arêas Peixoto (M/D)
Antropologia das Formas Expressivas/ Antropologia e História

Heitor Frúgoli Jr (M/D)
Antropologia Urbana

Heloisa Buarque de Almeida (M/D)
Marcadores Sociais da Diferença

John Cowart Dawsey (M/D)
Antropologia da Formas Expressivas

José Guilherme Cantor Magnani (M/D)
Antropologia Urbana

Júlio Assis Simões (M/D)
Marcadores Sociais da Diferença

Kabengele Munanga (M/D)
Antropologia das populações afro-brasileiras e africanas

Laura Moutinho da Silva (M/D)
Marcadores Sociais da Diferença

Lilia Katri Moritz Schwarcz (M/D)
Antropologia e História/ Marcadores Sociais da Diferença

Márcio Ferreira da Silva (M/D)
Etnologia indígena

Margarida Maria Moura (M/D)
Antropologia rural

Marta Rosa Amoroso (M/D)
Etnologia indígena

Paula Montero (M/D)
Religiosidade popular e instituições religiosas

Renato Sztutman (M)
Etnologia indígena

Rose Satiko Gitirana Hikiji (M/D)
Antropologia das formas expressivas

Sylvia Caiuby Novaes (M/D)
Antropologia da formas expressivas

Vagner Gonçalves da Silva (M/D)
Antropologia das populações afro-brasileiras e africanas